Ópticas de Portugal

Consultório

Ao longo da vida, todos nós estamos expostos a diversos fenómenos que podem por em causa a boa saúde ocular. Uns heriditários outros adquiridos com o passar dos anos. Desta forma, é fundamental estar consciente dos melhores hábitos, nomedamente alimentares, como também dos sinais emitidos pelo corpo. A prevenção é sempre o melhor remédio, no entanto os rastreios também são muito importantes.

Está convencionado, no seio dos profissionais de saúde visual, que idealmente seja feito um exame visual anualmente. Esta prática deve ser tida por todas as pessoas, quer usem ou não usem ajudas visuais, pois apenas desta forma é possivel identificar eventuais problemas nomeadamente aos assintomáticos como é o caso do glaucoma.

Miopia

O míope vê mal ao longe, mas bem ao perto. Na Miopia, a distância entre a córnea e a retina é excessiva, ou seja, o olho é “demasiado longo”. No olho míope a imagem do objecto forma-se à frente da retina.

Os primeiros Sinais:

– Franzir os olhos para ver com nitidez ao longe.

– Por exemplo, se uma criança escreve com o nariz muito próximo do caderno pode ser sinal de Miopia

Hipermetropia

O hipermetrope tem dificuldades em ver ao perto e a sua visão de longe também não é boa. Quando esta ultima parece razoável, é à custa de um esforço adicional o que provoca fadiga. Esta “deficiência” visual é provocada pelo facto de olho ser “demasiado curto” levando a que as imagens se formem atrás da retina

Os primeiros Sinais:

– Fadiga ocular e dores de cabeça: O esforço permanente de acomodação para superar a anomalia pode ser a causa destas manifestações, mais frequentes ao fim da tarde e depois do trabalho.

– Uma fraca Hipermetropia passa frequentemente despercebida até aos 35/40 anos, idade em que a capacidade de acomodação começa a diminuir.

– Pelo contrário, uma forte Hipermetropia é facilmente perceptível na criança, desde muito cedo, por ser muitas vezes acompanhada de Estrabismo, que deve ser rapidamente corrigido.

Astigmatismo

O Astigmatismo é uma anomalia causada, principalmente, pela curvatura “incorrecta da córnea”. A córnea tem uma forma ligeiramente oval (como uma bola de rugby) em vez de ter uma forma esférica (como uma bola de futebol). Os astigmatas possuem uma visão desfocada quer ao longe quer ao perto e não conseguem ver nitidamente os contrastes entre as linhas verticais, horizontais e oblíquas.

O Astigmatismo pode estar associado às restantes ametropias, Hipermetropia, Miopia e Presbiopia

Os primeiros Sinais:

– A confusão entre caracteres semelhantes tais como h, m, n ou 0, 8;

– O encandeamento com as luzes dos automóveis;

– Ver uma linha recta ou na realidade existe um ponto;

Podem ser sinais de Astigmatimo.

Presbiopia

A Presbiopia é uma alteração natural da visão que afecta todas as pessoas. A partir dos 40 anos, o cristalino (a nossa lente natural) começa a perder elasticidade (encurva-se de forma deficiente) e, consequentemente perde a sua capacidade de acomodação. Tal como uma câmara fotográfica mal ajustada, o olho deixa de conseguir focar as imagens correctamente, provocando dificuldades na visão de perto.

Os primeiros Sinais:

– Os braços já não serem suficientemente compridos para ler o jornal;

– Necessidade de se aproximar mais da luz par ler;

– Dificuldades em escrever uma sms.

Desenvolvimento da visão das crianças

A visão nos dois primeiros anos de vida

A visão de um recém-nascido é muito diferente da visão de um adulto ou mesmo de uma criança pequena. Este não consegue ver a cores, todo o seu mundo é em tonalidades de cinzento. A visão é desfocada, com uma acuidade visual de cerca de 20/400, e não consegue fixar nada a mais de 20 a 25 centímetros de distância. Nesta fase, a sensibilidade à luz é muito baixa.

Ao fim de algumas semanas, o bebé já será capaz de ver a maioria das cores, no entanto a visão cromática continuar-se-á a desenvolver durante os meses seguintes.

Nestes primeiros meses a acuidade visual começa a ser mais nitida e a sensibilidade à luz a aumentar progressivamente.

Nesta fase os olhos do bebé aprendem a funcionar em conjunto. Enquanto esta coordenação se desenvolve, é normal os olhos do bebé se parsentem desalinhados. Isto não é preocupante a não ser que se verifique um desalinhamento constante.

Esta coordenação dos olhos do bebé significa que a perceção da profundidade também se está a desenvolver e que a coordenação mãos-olhos-corpo está a melhorar.

Por volta dos seis meses, a visão cromática e a acuidade visual já devem estar totalmente desenvolvidas. Isto significa que é altura de se realizar o primeiro exame visual ao bebé.

Embora o bebé não consiga ler letras ou uma escala E como você, o oftalmologista pode realizar testes não verbais para verificar se há miopia ou hipermetropia, astigmatismo e outros problemas visuais.

Até aos dois anos de idade, o bebé irá aperfeiçoar as suas capacidades visuais nomeadamente seguir movimentos com o olhar, o aumento  da perceção da profundidade e a coordenação mãos-olhos. A visão das crianças irá continuar a desenvolver-se nos anos de escolaridade, à medida que fortalecem o seu sistema de perceção visual tão importante para o reconhecimento das formas, das cores, das letras e dos números de que precisam para serem capazes de ler e escrever.

Ajudar a desenvolver as capacidades visuais

  • Apresente muitos estimulos visuias de cores brilhantes, diversificados e diferentes
  • Mexa, simultaneamente, os seus braços e pernas por forma a incentivar o desenvolvimento bilateral e binocular
  • Fale com o bébe
  • Utilize uma luz de presença no quarto
  • Utilize brinquedos de diferentes formas e cores para estimular o bébe a alcança e tocar
  • Bata “palminhas” e brique às escondidas

Nota: Estas actividades são apenas alguns exemplos e devem ser feitos de acordo com o estágio evolutivo do bébe. Para informações mais detalhadas e/ou esclarecimento de duvidas consulte um profissional de saúde (Pediatra, Oftalmologista, Optometrista).

Sinais de alerta

Até aos dois anos, as crianças são pequenas demais para se aperceberem ou dizerem que têm algum problema de visão. Desta forma é importante estar atento a alguns sinais:

  • Olhos que não se mexam ao mesmo tempo
  • O evitar luzes brilhantes
  • Tonturas ou perda de equilíbrio
  • Náuseas ou perda de apetite
  • Ir contra as coisas com frequência
  • Franzir os olhos ou pôr a cabeça de lado
  • Esfregar os olhos
  • Sentar-se muito perto da televisão

Nota: Caso verifique algum destes sinais consulte um profissional de saúde (Oftalmologista ou Optometrista).

Adolescentes e os problemas de visão

Para além dos factores heriditários, existem ametropias que surgem nos jovens que estão intimamente ligadas ao uso excessivo de dispositivos digitais como smartphones, tablets ou consolas e também à falta de exposição ao ar livre. O facto de os jovens se refugiarem em espaços fechados e se exporem a jogos e outras actividades nos seus dispositivos difgitais contribui, nomeadamente para o aparecimento ou agravamento da miopia, por força da constante convergência que este tipo de actividades exige. Também a exposição à luz azul, que estes mesmos dispositivos emitem, podem provocar algumas reacções adversas tais como olhos vermelhos, dores de cabeça e cansaço visual. De realçar que tudo isto tem implicações nas actividades diárias dos adolescentes, nomeadamente na escola com dificuldades de consentração e o consequentemente deficite na aprendizagem.

Aconselha-se que a permanência frente a estes dispositivos não ultrapasse os 45 minutos consecutivos e que a distância para os monitores seja de, pelo menos, 30 cm. Não obstante estes cuidados e por forma a minimizar os efeitos da luz azul, existem lentes oftalmicas com um tratamento de filtro azul, que barram a entrada da referida luz nos olhos.

Alteração de visão dos 40 anos em diante

É muito natural e inevitável que a visão mude ao longo do tempo. As maiores alterações são sentidas quando se chega aos 40 e aos 50 anos.

Ao passar os 40 anos, é possivel que se comece a perceber que a visão de perto já não está no seu auge. Isto, porque o cristalino (a lente natural) começa a ficar menos flexivel e o exercicio de acumudação e relaxe do mesmo deixa de se fazer tão bem como até então passando a haver a necessidade de esticar o braço para se conseguir realizar melhor actividades que exijam visão de perto, nomeadamente ler.

Sendo o infraquecimento da visão de perto (presbiopia) ineveitável, existem outras condições que poderão eventualmente ocorrer com o passar dos anos, como por exemplo:

  • Degeneração Macular relacionada com a idade (DMRI) – É uma perda gradual de visão central, devido à deterioração da mácula (parte da retina).
  • Cataratas – Trata-se de uma opacificação do cristalino (a lente natural), que ocorre com o evelhecimento. Tal, dificulta a entrada da luz pelo que a visão fica comprometida. Óculos graduados são uma ajuda, mas de curto prazo. A cirurgia é, a seu tempo, a solução.
  • Glaucoma – Normalmente assintomático, o glaucoma deriva do aumento da pressão intraocular por deficite de drenagem de fluidos pelo olho.
  • Olho seco – Com o avançar da idade, os canais lacrimais podem deteriorar-se e perder humidade. Nestes casos os olhos ficam mais secos provocado irritabilidade e vermelhidão. Gotas oftálmicas são, normalmente, aconselhadas nestes casos.

Nota: A informação disponibilizada é meramente indicativa e exemplificativa. Para informações mais detalhadas e/ou esclarecimento de duvidas consulte um profissional de saúde (Pediatra, Oftalmologista, Optometrista).

  • No products in the cart.